rainbow09: (Watch too)

Este comecei ontem e acabei agora. Aquela sensação de estranheza com as cores e o tablet já passou, está tudo perfect agora!

Estou a aproveitar para treinar um bocado o desenho de fundos, porque nestes últimos dois anos não tenho desenhado nada de jeito... comentei até no tumblr que, pelo que estive a verificar, já não faço uma fanart com um fundo desenvolvido desde o Outono de 2010...

Lá para Setembro, depois do Kanpai, quero ver se abro comissões no DA e tiro proveito dos últimos meses da minha conta premium. Até agora a malta farta-se de me mandar mensagens a ver se as abro, mas realmente não me dá jeito nenhum agora. Preciso de treinar algumas cenas, sinto-me meio enferrujada em técnicas como o ponto de fuga e certas formas de pintar paisagens. =/
rainbow09: (Worried)

Yatta!! Este é o primeiro desenho que faço com o meu novo monitor; as cores que vejo agora são muito mais brilhantes do que naquele calhambeque velho que eu tinha - confesso que comecei até a estranhar. Valeu a pena! Até sinto-me mais à vontade a rabiscar... tenho mais espaço agora.
rainbow09: (Courage)

Não é que dentro da minha cabeça eu veja o Yamato como um fumador, mas acho que o gesto combina com ele.
rainbow09: (ray)

Tenho estado a reler toda a colecção de Sherlock Holmes. Acho que foi a série de televisão "Sherlock" que me empolgou. Há detalhes que eu não tinha reparado da 1ª vez que li, mas que agora fazem-me rir porque me lembram os episódios! Os autores foram fantásticos,  adaptação é extraordinária. Eles conseguiram não apenas modernizar o detective mais famoso do mundo: mais do que isso, conseguiram aproximá-lo aos espectadores de hoje em dia.

Sinto isso agora, enquanto releio os livros, e reparo que o ambiente e os vícios da era victoriana já não me causam tanta estranheza. Os personagens já não estão tão afastados de mim. É como se o Holmes fosse actual! Acho isto um feito extraordinário!
rainbow09: (Floral)
HOME!! Depois de um dia passado fora de casa, eis-me aqui, meio cansada mas sem vontade nenhuma de ir já para a cama. Fiquei durante uns dias sem internet, tudo bem, mas só agora me toquei: "Por que será que parei de actualizar o meu Jornal tantas vezes?". Não é que eu tenha deixado de pensar nas coisas, enfim, talvez esteja a desenvolver o prazer de manter certas coisas "para mim mesma", se é que me entendem...

Bom, passou o dia do meu aniversário sem que eu tenha tido oportunidade para parar quieta; se no ano passado eu já me tinha sentido estranha por receber tanta atenção, este ano foi um pouco... além do limite. Mas desta vez surpreendi-me de uma forma um pouco diferente. Tipo, ao passo que no ano passado recebi imensa atenção online (desde fanfics até desenhos) e muito pouca atenção na "vida real", acho que este ano foi o extremo oposto. Confesso que, em toda a minha vida, nunca tinha tido um aniversário com as pessoas que eu realmente achasse "parte" da minha vida, à volta da mesma mesa. E basicamente é como se isto continuasse agora nestes dias seguintes, porque tenho andado a pagar cafés a quem não pôde estar presente. xD Com aquele grau de informalidade que eu gosto, mas não ao ponto do burlesco. Apenas malta de quem gosto....

E agora que tudo isto passou, fico a pensar: por que será que as pessoas têm o hábito de dar presentes? Esta pergunta tem estado a assombrar-me há alguns dias, mas partilho-a aqui, porque a acho oportuna. Tipo, acho que todos nós sabemos como é que isto funciona na realidade: há sempre o politicamente correcto que manda que agradeçamos pelo presente, mesmo que a coisa em questão não seja inteiramente do nosso agrado. Como eu pessoalmente detesto alimentar este tipo de coisas, enfim, acho que nunca soube lidar muito bem com esta questão. E a questão é: o que fazer? Se me perguntarem, eu penso assim: presentes são símbolos bonitos de amizade e de carinho, mas se analisarmos a rigor, não serão estes objectos formas de compensar relações que não são completamente estáveis? Pensem bem: quando uma amizade sincera existe, não é ela em si mesma auto-suficiente? Do tipo à qual não falta nada? E o que fazer quando frustramos as expectativas de alguém de não entende isto?

Esta minha perspectiva acaba sendo, talvez, fruto de anos e anos que se passaram em que recebi objectos sem qualquer tipo de valor sentimental; apenas aquelas coisas socialmente correctas de se dar: perfumes, aquele par de brincos, aquela pulseira, aquele anel.....  coisas que estão longe de espelhar alguma relação com a minha pessoa e que, pelo contrário, denunciam a distância que esses familiares e pessoas no geral têm de mim. Toda esta reflexão perde força só neste caso: quando as pessoas realmente são próximas e dão algo porque querem, enfim, porque sentem uma profunda vontade de fazer uma entrega pessoal. Não adianta complicar o que é simples, e aqui, as coisas sempre funcionam. Mais uma vez, é a arte que vem responder às minhas grandes questões. A arte sempre funciona. xD Seja algo manufacturado ou de valor literário, filosófico ou de estudo...  um livro, um manga, um desenho, um pensamento, um afecto, ou uma simples ametista (adorei este presente em particular, foi de uma simplicidade genial!)... enfim...

A todos, o meu obrigado. =)

Perfil

rainbow09: (Default)
Rayana

Bem-vind@!

O Jornal Rainbow 09 é um blog pessoal focado em conteúdos de Digimon, em especial de Adventure.

Aqui encontram as minhas opiniões pessoais, traduções de CD Dramas, doujinshis, imagens, reflexões e os delírios típicos de qualquer fã~

◉ Todas as fanarts publicadas no blog são arquivadas no meu site:

◉ Podem encontrar-me também no tumblr, no twitter, na deviantart e eventualmente no pixiv.

◉ Movi as minhas fanarts e traduções de Kuroko no Basuke para [personal profile] shadow09

Page generated 19/10/2017 21:45
Powered by Dreamwidth Studios